Negociação avança, e o Vitória fica perto de acerto com Kieza

0

Vitória e São Paulo avançaram na negociação do atacante Kieza. Neste sábado, o vice-presidente da equipe baiana, Manoel Matos, e o diretor de futebol, Anderson Barros, participaram de uma reunião com os diretores de futebol do tricolor em São Paulo para tratar do assunto.

Além da compra dos direitos federativos de Kieza, a negociação também envolve uma parceria entre as categorias de base dos clubes, com a ida de dois atletas da Toca do Leão para o clube do Morumbi, conforme confirmado pelo presidente do clube paulista, Carlos Augusto de Barros e Silva.

O negocio ainda não foi fechado, e não é ainda neste fim de semana que o atacante vai desembarcar em Salvador. Mesmo assim, as negociações avançam bem. Ainda não há prazo para que o martelo seja batido, mas a tendência é que haja uma resolução sobre o caso na próxima semana.

Trazer um centroavante é uma das prioridades do Vitória nesse inicio de temporada. Vagner Mancini por várias vezes falou da falta de opções de um homem de área dentro do elenco. No Rubro-Negro, Kieza teria somente a concorrência de Robert, que tem contrato até o fim de maio, e Rafaelson, atleta que o treinador disse não estar pronto para atuar entre os profissionais.

O Vitória, inclusive, necessita de se apressar se quiser contar com o atacante para o Baianão: as inscrições para o estadual terminam nesta quarta-feira, dia 16 de março. Se a contratação não for confirmada até lá, Kieza poderá atuar apenas no Brasileirão e na Copa do Brasil. Outros dois jogadores também precisam ser inscritos até quarta no Baiano: o atacante Dagoberto e o zagueiro Victor Ramos, que foram anunciados, mas ainda não estão regularizados.

Kieza chegou ao São Paulo no início desta temporada e participou de apenas dois jogos, um como titular. Para contar com o atacante, destaque do Bahia em 2015, o Tricolor paulista enfrentou uma longa negociação e aceitou pagar 1 milhão de dólares (cerca de R$ 4 milhões) ao Shanghai Shenxin, da China.

Até agora só uma pequena parte desse valor foi paga, conforme previa o contrato. Para avaliar propostas por Kieza, a diretoria do São Paulo pede que o interessado se comprometa, com garantias, a assumir sua dívida com os chineses, além de onerar o cofre pelo dinheiro que já saiu do cofre para bancar a chegada do reforço.

Oque pesa a favor de uma possível saída a opinião de Kieza é o incomodo do jogador com a falta de oportunidades de jogar. O atacante foi contratado para ser reserva de Alan Kardec, mas, pouco depois, o Tricolor acertou o empréstimo do argentino Calleri, até junho, Kieza já disse a pessoas próximas que sua prioridade é jogar independente de time.

Foto: Lance

 

Deixe seu comentário