Diego Costa sinaliza o ‘sim’, mas o Corinthians terá que gastar alto

O Corinthians segue firme no mercado e Diego Costa é um dos preferidos da diretoria e comissão técnica, o atacante já sinalizou positivamente. O Timão procura um nome experiente e confiável para ser o centroavante do clube em 2022. Depois de uma série de reforços de alto nível nessa última temporada, essa é a última grande demanda para o futebol.

O nome de Diego Costa aparece como o favorito da direção.  Isso porque, além de ser um grande jogador, ele apresentou interesse em defender a camisa do Timão e poderia ser a peça que falta para colocar o clube na rota dos títulos. Porém, o Galo não está disposto a negociar o jogador para o mercado interno e pretende fazer jogo muito duro.

Diego Costa chegou ao clube mineiro no meio de 2021 e tem contrato com o Atlético até o final de 2022. Para contar com o jogador, portanto, o Corinthians teria que pagar a multa rescisória de Diego Costa. Segundo as informações apurado este valor gira em torno de R$ 16 milhões, e o Galo deve diminuir um pois só desse valor em um negócio.

Esse valor corresponde aos 12 meses de salário que Diego Costa tem para receber do Galo até o final de 2022. É um custo alto para um jogador que iria exigir um contrato do mesmo calibre para vestir a camisa do timão. Outra possibilidade estudada pela diretoria do Corinthians é contratar Edinson Cavani. O centroavante uruguaio dá sinais de insatisfação no Manchester United e pode ficar livre no mercado em um futuro próximo.

Outro alvo, Cavani deve se transferir para o Barcelona

Entretanto, clubes como o Barcelona já demonstraram interesse em contar com o jogador, e sua prioridade seria a permanência no futebol europeu. Por isso, seu nome foi descartado nos bastidores do clube. A tendência é que o Corinthians apresente uma proposta por Diego Costa, mas é certo que o Galo fará jogo duro para liberar o atleta, principalmente para um rival que está montando um elenco muito competitivo para a próxima temporada.

Deixe seu comentário
Botão Voltar ao topo