Grêmio e Palmeiras cravam disputa pelo paraguaio Mathías Villasanti

0

Se movimentando mercado, Grêmio e Palmeiras estão disputando Mathías Villasanti, meia de 24 anos que atua pelo Cerro Porteño, do Paraguai. O próprio empresário do jogador, Renato Bittar, disse em entrevista recente, que grandes clubes brasileiros fizeram contatos pelo jogador, e que sinalizaram propostas, há negociações em andamento segundo ele.

O empresário ainda afirmou que aguarda propostas oficiais por Mathías Villasanti, para que seja então apresentadas ao Cerro Porteño e ao volante, que está ciente do interesse atual de Grêmio e Palmeiras. O volante paraguaio estaria animado com a possibilidade de atuar no futebol brasileiro, os interessados devem fazer propostas de compra pelo jogador.

Questionadas recentemente, as diretorias de Grêmio e Palmeiras não negaram o interesse, indicativo de que propostas oficiais devem ser feitas em breve. No Verdão a contratação de um jogador com essas características é pedido de Abel Ferreira, que indicou também outros nomes á dirtoria, no Grêmio o técnico Renato Portaluppi também deu aval para o negócio.

Aos 24 anos, Mathías Villasanti tem uma perfil de liderança em campo, é capitão do Cerro Porteño e tem seu passe avaliado em 3,5 milhões de dólares. O volante é considerado uma das grandes revelações atuais do futebol paraguaio, e vem tendo presença constante nas últimas convocações da seleção do seu país, tendo estrado em 2019, com características de boa marcação e qualidade técnica, é um volante considerado completo.

O Palmeiras tentou a contratação de Mathías Villasanti em 2020

Vale lembrar que o interesse do Palmeiras em Villasanti é antigo, a diretoria alviverde já tentou a contratação anteriormente, em 2020, e agora voltou a carga pelo jogador, mas agora tem a concorrência do Grêmio. Nos últimos dias o mercado de transferências está bastante movimentado no futebol brasileiro, os principais clubes do país estão em busca por reforços pontuais, e o Verdão e o Tricolor Gaúcho estão entre essas equipes.

Deixe seu comentário